quinta-feira, 8 de julho de 2010

PLANTAS QUE CURAM PLANTAS - AS CENOURAS AMAM OS TOMATES

Plantas para curar plantas, na Natureza a resposta...

As plantas que embelezam a paisagem também cuidam do nosso corpo e espírito. E também cuidam umas das outras como boas companheiras.
O homem primitivo desde cedo aprendeu a lançar mão dos recursos que a Natureza colocou ao seu dispor, porque estava mais ligado aos elementos. Havia como que uma secreta aliança Homem/ Natureza.
A magia e o mistério da plantação consociada desde sempre intrigou e fascinou o Homem. Plantas que se ajudam mutuamente no crescimento, que repelem insectos indesejáveis ou até outras plantas. Por exemplo, um grande inimigo da cenoura é a mosca da cenoura, enquanto que o alho-porro é atacado pela mosca da cebola e pela mosca do alho-porro. No entanto, quando se consociam estas duas plantas, os cheiros fortes e diferentes das duas, repelem imediatamente os insectos que nem sequer se atrevem a por os ovos nas plantas próximas. A consociação de plantas não é magia, mas sim um método simples e prático de resolução de problemas que surgem na construção de uma horta ou jardim. Isto sabe-se desde os primórdios da Agricultura.
Já os Indios americanos misturavam nas suas culturas o milho e os pepinos. No século XIX, os agricultores holandeses plantavam uma bordadura de cânhamo em torno de de um campo de couves para afastar a borboleta da couve. Se observarmos a Natureza, algo de semelhante se passa de forma espontânea. Uma árvore de grande dimensão serve de tutor a uma trepadeira. A mesma árvore fornece sombra a plantinhas sensíveis à luz solar directa. Mas todas elas, em associação, vão contribuir para a fertilização do solo através da decomposição das suas partes mortas, folhas, flores, ramos secos. Na nossa Mãe-Natureza nada se perde. Tudo se transforma...
Alguém disse que não há plantas daninhas. Há plantas para as quais ainda se não encontrou utilidade...
Pois bem, vivemos rodeados de plantas que são, potencialmente, autênticas "Farmácias Verdes". Eis algumas...

- Feto (Pteridium aquilinum)
- Hera (Hedera helix)
- Alfazema (Lavandula officinalis)
- Urtiga (Urtica dioica)
- Erva Cidreira (Melissa officinalis)
- Hortelã-Pimenta (Mentha piperita)
- Cavalinha (Equisetum arvense)
- Arruda ( Ruta graveolens)
- Sabugueiro (Sambucus nigra)

(continua...)

6 comentários:

Anónimo disse...

De artigo em artigo, vou descobrindo e aprendendo contigo a magia e o mistério das plantas.
Tal como a vida, é necessario vivê-la com a dose certa de magia, senão para quê estar viva?

Anixa

Nuno Andrade Ferreira disse...

E quando é que nos contas mais sobre elas?

Jardineiro do Rei disse...

Nuno...

A história e a vida das plantas não tem fim.

Geografia disse...

Parabéns para o Jardineiro do Rei que blog maravilhoso um bj Maria

Jardineiro do Rei disse...

Obrigado Maria.

Quanta simpatia...


Jardineiro do Rei

Majo disse...

Este tema é interessantíssimo e muito proveitoso para amadores: como se devem associar as plantas para evitar predadores.

Quem sabe,sabe!
E o saber é algo que nunca se perde!
Grata pela lição.