quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

A FINITUDE DA VIDA - Um instante de silêncio.


Na vida, tudo é passageiro, tudo é finito. Tudo é efémero.
De nada valem, egoísmos, misérias e grandezas. De nada serve ouro ou fortuna. Arrogância ou desprezo.
Quando a vida cessa, nada mais somos do que pó. Descemos à terra fria. E é a terra fria o testemunho eloquente da imensa agonia do silencio da morte...
 Se à dor imensa da perda de um ente querido, juntarmos, anos depois, uma espécie de segundo acto de dor, quando nos é comunicado de forma fria, burocrática e impessoal que o tempo de descanso na terra se esgotou, então está completo o ciclo doloroso.
Hoje, para mim, cumpriu-se esse acto. Desceu o pano, de forma dolorosa, sobre a existência de dois seres maravilhosos a quem devo o ser que sou, na minha grandeza e miséria.


Minha Mãe... Meu Pai...

Uma longa história de Amor...

Neste momento, em silencio, olho para trás, para este caminho já longo em que tantas palavras ficaram por vos dizer. E vislumbro pegadas na areia, que o vento breve apagará.
E agora é tarde...
Demasiado tarde para vos dizer o quanto serão sempre importantes para mim. O quanto vos amarei...Sempre!

Até que nos voltemos a encontrar,

Descansem em paz... Meus Pais.
 

16 comentários:

Anónimo disse...

É um dia muito triste para ti, mas que já esperavas, agora com o tempo e a ajuda de quem te ama, a dor vai ser superada lentamente, de mim já sabes com o que podes contar sempre que precises...
Um beijo JC e coragem....
Jardineira-Feiticeira

Anónimo disse...

Esqueci de te dizer que a homenagem que lhes prestaste aqui está mt digna e linda, escrita como só tu sabes escrever, que Deus nunca te tire esse dom da escrita e que te proteja sempre....
Um beijo Jardineiro

Virginia Jesus Fassarella disse...

A dor é imensa. Deus te proteja. Até breve Jardineiro do Rei.

Jardineiro do Rei disse...

Bem hajas Jardineira-Feiticeira pelas tuas palavras, pelo teu carinho e apoio nesta hora difícil.

um beijo

jc

Jardineiro do Rei disse...

Obrigado minha Amiga Virginia.
Pelas palavras, pelo carinho e pelo apoio

joão

Antígona disse...

Deixo-lhe um sorriso amigo na esperança de contágio :) é que não acredito em fins :)

Lucinha disse...

Jardineiro do Rei,

Sinta-se abraçado e consolado.
Dói muito, mas o lindo disso tudo é guardar as boas lembranças.

Abraço,

Anónimo disse...

Continuas a escrever maravilhosamente bem...
Silenciosamente vou-te lendo, e sei que a saudade por mais que o tempo passe não termina, antes pelo contrário aumenta...
Um beijo para ti, neste dia de memórias dolorosas!

Lilá(s) disse...

Como te entendo João, perdi-os muito jovem ainda, ficou tanta coisa por dizer, um vazio enorme...agora valem-nos as boas lembranças. Que bonita a tua homenagem!
Deixo-te um abraço muito apertado, e
beijinhos

Maria disse...

Meu amigo de certeza que eles partiram sabendo o muito que os amava. Comprendo a sua dor pois no dia 25 de janeiro partiu o meu paizinho, o meu melhor amigo. Sempre que penso, falo, ou trato de assuntos relacionados com ele, a dor é tão grande que mesmo sem querer e independentemente do local onde esteja, por muito forte que tente ser, as lágrimas saltam normalmente dos meus olhos. Acredito que com o tempo a dor vai ficando amenizada, agora ainda dilacera a minha alma, no entanto sei, que os nossos entes queridos que partiram, estarão sempre connosco na nossa memória e no nosso coarção.
Muita força meu amigo, e que as boas recordações consigam suavizar a sua dor.
Beijinhos
Maria

relogio.de.corda disse...

Estou aqui pela 1ª vez e como gostei do que vi e li, voltarei.

Mariazita disse...

Meu querido amigo João
Perdoa-me a demora em vir visitar-te... mas tu sabes bem da minha vida.
Em momento de tanta dor, as palavras de conforto são sempre poucas e parece(a mim, pelo menos) terem pouca força, perante o muito que queremos expressar.
Abraço-te, em silêncio, e com emoção.

Não quero despedir-me sem elogiar a homenagem que prestas a teus Pais. Linda e comovente.

Beijinhos com muita amizade

Graça Sousa disse...

Sentida homenagem aos teus entes queridos...faz-nos reflectir sobre a própria vida...
A vida se segue através da morte,é precisamente uma mudança de existência... deste lugar para outro,é uma porta aberta ao místério?
Um abraço
Graça

http://sombrasdamemoria.blogspot.com disse...

Descobri hoje este blogue...
Este Post é um hino ao Amor Profundo e Eterno...

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Estou "arruando" neste O Canto da Terra, lendo algumas postagens, me encantando, me emocionando.

Demoro a vir (são tantos os lugares por onde passeio), mas quando venho, tiro "bom proveito" das suas maravilhas, Jardineiro do Rei...

Um beijo,
da Lúcia

Majo disse...

É sempre um golpe muito duro e doloroso...
Fizeste uma homenagem muito triste mas amorosa.
Já passei pela mesma pungente situação. Só o trabaho ajuda a superar e o tempo a amenizar.
Um abraço especial.