sábado, 29 de janeiro de 2011

A HISTÓRIA DE NIKE - CRIME SEM CASTIGO...

Em Julho de 2010, contei, neste mesmo blogue a história de um cão - o Nike - que havia sido expulso da sua casa de sempre, pelos seus donos. Razão para esse acto? Nenhuma... apenas porque sim!
O Nike vivia do que lhe davam- quando lhe davam... Sofreu com as inclemências do frio no Inverno e com a canícula do sol no Verão. Sobrevivia de esmolas, do que lhe davam. Nunca se queixou, nunca reclamou, que a vida para ele havia sido sempre madrasta. E quem sofre os efeitos de um abandono depressa aprende a viver com pouco. A dar valor às coisas simples da vida, sejam elas alimentos ou um afago. E isso fez com que o Nike nunca se afastasse daqueles que agora - mal ou bem - proviam a sua sobrevivência. É que tal como certos homens, também o Nike era um deserdado da fortuna, um filho de um Deus Menor. Mas...
Um dia o Nike desapareceu. Passaram dias, semanas, meses.  Do simpático e afável Nike nem sinal. As pessoas que se tinham habituado a ele e à sua afabilidade, acabaram por se convencer que ele tinha desaparecido para sempre. Mas a tragédia do Nike ainda lhe tinha reservado um último e trágico acto. A noticia chegou de chofre: O Nike está no canil municipal! Foi atingido a tiro de pistola à queima roupa. Dificilmente irá sobreviver. Alguém encontrou o Nike com as pernas traseiras destroçadas por uma bala que ainda se encontrava alojada no osso, a arrastar-se no meio do mato e alertou o Grupo de Voluntários do Canil Municipal do Seixal que providenciou o seu transporte e assistência médica imediata.
 A primeira reacção dos médicos que o observaram foi "adormece-lo". Poucas hipotses de sobrevivência tinha  aquele cão que, certamente, iria perder as duas pernas traseiras,  que já não era jovem, que estava terrivelmente debilitado. Só que o Nike não é um cão qualquer. É senhor de uma força e de um desmedido Amor à Vida. A forma corajosa com que decidiu enfrentar mais esta provação, sem um lamento, sem um ganido,  fez com que os médicos que o acompanham  decidem encetar uma luta para o salvar. É que o Nike apenas quer viver...
No momento em que estas notas estão a ser escritas ele está a ser submetido a mais uma intervenção cirúrgica numa ultima tentativa para lhe salvarem a perna traseira que resta.
Se sobreviver, só sairá do canil para uma família de acolhimento. Não mais a rua será o seu destino.


ISTO É CRIME! 


    Resta-me uma pergunta e ao mesmo tempo um desabafo: O autor deste crime, os donos que expulsaram o Nike de casa, conseguirão dormir de consciência tranquila?                                           

9 comentários:

Anónimo disse...

Não consegui ler e ver estas fotos sem que as lágrimas me queimassem o rosto!!!!
Não há direito, quem fez isto devia sofrer o dobro do que o Nike está a sofrer, que Deus me perdoe o desabafo, mas neste momento a revolta revira-me o estomago...
Haja quem posso tomar conta do Nike, por se eu pudesse ele já estaria em minha casa deste o 1º post que li.
Anixa

Antígona disse...

Sem palavras.

Lucinha Cullen's Garden and Cia disse...

Não tenho palavras também. Lágrimas correram nos meus olhos.
Misericórdia, Senhor!

sonia disse...

As lagrimas correm pelos meus olhos!
E eu estou com ele todos os fins de semana!
para mim eu sempre o conheci como Fox, eu saiu do canil sempre com o coração apertado por ele!
Adoto-te Fox!!

Mª Zélia disse...

Querido amigo, não há com não se comover com esta triste sina do Nike... Quem tem sentimentos e respeita a vida sente-se machucado também...
Que a providência divina traga logo recuperação para seu estado e que ilumine a vida das pessoas boas que o ajudaram.
Vou aguardar notícias...

Espaço do João disse...

Entre o cão e o dono ou quem lhe fez tamanha patifaria, eu pugno pelo cão. Como tenho vários cães, sei o que eles sofrem e quanto eles nos adoram logo que nos Vêem .

Virginia Jesus Fassarella disse...

Quem não fica emocionado com atitudes tão insensíveis? Mas no final tudo dá certo. Tem selinho no blog para você. Um abraço.

Anónimo disse...

Infelizmente...devem conseguir dormir,se tiveram a coragem de não o quererem mais,é porque estão bem,mas a recompensa deles virá um dia,de certeza...bjs

Majo disse...

Foi tristíssima a sorte do Nike, finalmente compensado pela comiseração dos profissionais de saúde que não lhe praticaram a eutanásia. Que lhe seja concedido um final feliz!

Como me sinto orgulhosa da minha filha que adotou uma cadelinha encontrada num estado miserável, nos limites da sobrevivência.
Tratou-a, acarinhou-a e hoje ela faz-lhe muita companhia.
Ninguém percebe como uma cadelinha meiga, de lindo pêlo encaracolado, pode ter sido abandonada!

É muito meritório o trabalho que se tem feito para a proteção dos animais.