sábado, 6 de novembro de 2010

PLANTAS QUE CURAM PLANTAS Melia ou Conteira

DECOCÇÃO DE MELIA (Melia azedarach)

A Melia também conhecida por Amargoseira, Sicómoro (nos Açores) ou Conteira - porque as suas sementes eram usadas no fabrico artesanal de "contas" dos rosários... é uma árvore largamente comum nas nossas praças, jardins e ruas.
De crescimento rápido - em poucos anos se obtêm exemplares magníficos - a Melia apresenta folhagem caduca, usada para fins medicinais, flores de côr lilás, nectaríferas. Os frutos - drupas esféricas - apesar de apreciados pelos pássaros, são altamente tóxicos para outros animais e para os seres humanos. 
A madeira proveniente do tronco, de cor branca, rósea ou avermelhada, com veios castanhos, é apreciada na fabricação de mobiliário.
Como atrás refiro, os frutos e também as folhas da Melia, são tóxicos. Essa toxicidade provem dos seus componentes, saponinas e um alcaloide,  a Azaridina e têm efeito eficaz sobre pragas das plantas, pelo que os extractos vegetais obtidos por decocção podem ser utilizados em Agricultura Biológica.

Eis a receita...

Coloca-se um punhado de folhas e frutos  de Melia, em fase de pré-maturação, num recipiente metálico. Cobre-se com 3 ou 4 litros de água. Leva-se ao lume até ferver. A fervura deverá durar cerca de 20 minutos (a cor da água passará a castanha). Deixa-se arrefecer. Filtra-se e armazena-se em recipientes de plástico. 
Usa-se diluído e em pulverização, na proporção de 1 litro de produto para 4 litros de água.
A quantidade e folhas e frutos usados é a suficiente para ser coberta pela água.

Campos de aplicação:
Eficaz em pragas de afídeos (piolhos), incluindo o piolho lanígero, cochonilhas, ácaros, lagartas, etc. das fruteiras, hortícolas, roseiras, plantas aromáticas, plantas de corte, cactos... 

6 comentários:

Espaço do João disse...

Meu caro.
Mais uma lição aprendida ( arquivada ) Não conhecia a particularidade dessas bolinhas, nem dessa planta. Estamos sempre a aprender.
Quanto ao mar, fique sabendo que é o lugar por onde irão as minhas cinzas, pois nascido com ele rodeado por todos os lados não podia deixar de lhe dar a última dádiva.
Tenha uma bela semana e, volte sempre.
Um abraço . João

Espaço do João disse...

Meu Caro Jardineiro do Rei.
Sempre ouvi dizer que o bom filho à casa volta. É como o filho pródigo.
Sempre que posso, vou à terra onde nasci. Recordo sempre os pequenos lugarejos onde passei. O mar chama-me e, sempre que posso lá estou perto dele. Estar junto do mar , é estar perto do paraíso, muito embora com certo respeito. Felizmente ainda tenho familiares bem chegados na Ilha, mas a maior parte são todos emigrantes. Eu por ex. sou um Madeirense errante, pois tenho aportado a muitos portos e aeroportos do mundo em busca duma vida melhor. Hoje, reformado e, cansado nem mesmo assim deixo por mãos alheias tudo o que sei fazer. A única consolação é que não tenho de cumprir horários, mas nem por isso deixo de levantar-me cedo e deitar-me tarde. Há sempre muitos afazeres. Não gosto de estar sentado nos bancos dos jardins nem apastelado nos cafés. É mais saudável mexer na terra , apreciar o nascer do Sol e, recolher o brilho da Lua. Um abraço João.

Anónimo disse...

Elá, o Jardineiro tu és um charme de homem!!!!!!!!!!
Só para olhar para ti vale a pena vir aqui...rsrsrsrsrs

Rosa disse...

Já desconfiava, a conteira é uma Meliaceae muito semelhante à venerada Neem (Azadirachta indica)

http://www.youtube.com/watch?v=b8MsIpkqZuI

Lucinha Cullen's Garden and Cia disse...

Olá,

Nossa, que aula. Aprendi muito nessa postagem.

Amei essa a "Melia", deve ser porque fazem Rosários com suas contas, que lindo!

Parabéns!

A paz!

Majo disse...

Não conhecia esta árvore!
Compro habitualmente no Super Mercado, produtos de agricultura ecológica, da Quinta da Mélias, e associava a palavra ao inseto parecido com uma borboleta.
Agora descobri no seu logotipo, a flor da árvore tão importante a este tipo de agricultura.

Viver e aprendendo até ao fim...