sábado, 14 de março de 2015

ESTRANHO, ADMIRÁVEL, MÁGICO, MAL-CHEIROSO... O ALHO!

Dá-se pelo nome científico de Allium sativum.  É aparentado com a Cebola e com o Cebolinho. Ninguém lhe conhece a origem exacta, contudo, crêem os estudiosos que terá a sua origem na Ásia, tendo sido daí levado para o Egipto e a seguir para a Europa. Também há quem diga que surgiu na Sicília, Sul da Itália, o único lugar do mundo onde o Alho nasce espontaneamente.
"Alho" é uma palavra de origem celta, all. que significa picante, acre.
O Alho é usado desde a mais remota antiguidade, não tanto como alimento propriamente dito, mas mais como condimento. Da sua utilidade como tempero já tudo foi dito. Não iria acrescentar nada de novo. No que respeita às suas virtudes como planta medicinal, também pouco mais há a dizer.
No entanto, esta planta ainda nos pode surpreender quando nos debruçamos sobre a sua história desde a antiguidade até aos nossos dias.
Desde sempre, o Alho esteve presente na vida das comunidades humanas, não só como componente importante na sua dieta alimentar, como remédio,  mas também como instrumento de práticas religiosas em que se confundem rituais satânicos e superstição.
Todos os males para os quais a medicina tradicional não encontrava cura, entravam no conceito de doenças mágicas, provocadas por castigo divino ou intervenção do demónio e aí era a área de acção do curandeiro, do exorcista, do feiticeiro. 
Uma das práticas mágicas mais temidas pelos homens é, sem dúvida, o feitiço. O seu rasto pode ser seguido desde os alvores da humanidade até aos nossos dias. O feiticeiro ancestral ou Maleficus, tinha ao seu dispor todo um arsenal de ingredientes, roupas, cabelos, unhas, etc do paciente. Para potenciar os efeitos da prática, o feiticeiro usava aquilo que se designa por "amuletos verdes", produtos de origem vegetal, entre os quais o Alho assumia papel relevante como planta protectora contra qualquer maldição.
Colher 7 alhos, prende-los com um barbante e usá-los pendurados ao pescoço durante 7 sábados, era garantia de protecção vitalícia, contra o mau-olhado, a inveja e a amarração. Uma espécie de "seguro de vida"... Os marinheiros usavam-no, quando embarcados, para se protegerem das tempestades. Também os soldados da Idade Média o levavam consigo quando iam para o campo de batalha, na crença de que a sua coragem e força aumentariam.  À porta das casas era comum verem-se molhos de cabeças de Alho quando se pretendia afastar visitas indesejadas, o mau-olhado e a inveja. 
No domínio do terror, atribui-se ao Alho a capacidade de afastar os vampiros. Diz a lenda que a um vampiro decapitado se devia encher a boca de Alho pisado. Na cultura dos povos eslavos esta planta era usada para identificar vampiros. Nas igrejas, quem se recusasse a comer um dente de Alho era possuído do demónio,  pela certa. Quem não se lembra dos filmes terríveis do Conde Drácula...
No antigo Egipto era possível comprar-se um escravo saudável com 7 quilogramas de Alho. 
Já no plano das mezinhas, era crença que o Alho protegia da hepatite. Para tanto bastava pendurar ao pescoço, em um barbante, 13 dentes de Alho durante 13 dias. Ao décimo terceiro dia, num cruzamento, tirava-se o colar do pescoço, jogava-se para trás e fugia-se desalmadamente sem olhar para a retaguarda...
Nero, imperador de Roma, era um compulsivo consumidor de Alho crú com  o objectivo de melhorar os seus supostos dotes oratórios. 
No nosso Alentejo, em certas zonas rurais, há um antigo remédio popular contra a a constipação, que consiste em moer alguns dentes  de Alho e colocá-los numa bolsinha de pano à cintura, a que se dá o nome de "boneca de Alho".
Contudo, a ingestão desta planta, tem o inconveniente do desagradável cheiro que liberta. Por decreto real, Afonso XIV de Castela, proibiu as pessoas que tivessem comido Alho de se aproximarem dele, devido ao odor no hálito e no corpo. Também Shakespeare recomendou aos seus actores que deviam evitar este condimento para não desagradar à plateia...
Nos Estados Unidos há restaurantes que usam apenas o Alho como condimento. É o caso do badalado The Stinking Rose, literalmente "A Rosa Fedida", ou mal-cheirosa... Só neste estabelecimento são consumidos mais de uma tonelada de Alho por mês.
Para terminar esta prosa que já vai longa, só uma breve referência a um parente da família dos Alhos: O Alho-Porro ou Alho-Francês. Allium porrum. dizem os botânicos. Usado nos festejos da noite de S. João, na portuguesíssima cidade do Porto. Segundo o historiados Germano Silva, o seu uso protege os utilizadores dos males de inveja e mau-olhado...

7 comentários:

brasa disse...

Uso alho em praticamente em tudo o que faço!!! Obrigada pelas tuas dicas. Vou ficar á espera dos alhos que semeaste para mim!!! Beijinho!!1

Maria Paz disse...

Que maravilha! Além de aprender muitas coisas sobre a história do alho ainda me diverti com algumas; ora, o rei Afonso XIV de Castela, proibiu que se aproximassem dele os consumidores de alho, acho bem, a mim também me incomoda e se pudesse fazia o mesmo!
Caro amigo eu vou partilhar o seu post no facebook

Labirinto de Emoções disse...

Mais um tratado de magia sobre o Alho..:-)))
Eu uso alho em tudo, menos come-lo cru, a isso ninguem me convence, porque detesto o gosto além de me picar na lingua.
Mas talvez leve um molho de alhos, pendurados ao pescoçom, tipo colar...quando tiver de ir as finanças.. quem sabe correm comigo e me isentem de pagar impostos...
Eu tambem semeei alhos o ano passado no meu quintal, mas não tive sorte nenhuma, não deu nada..:-(((
Agora ir para as festas de S.João e levar com o alho porro na cabeça... dispenso, não acho gracinha nenhuma a essa parvoice!
Perfiro o meu Santo António, ou não seja eu uma Alfacinha de Gema..:-)))
Beijinho grande meu Indio

Marli Vieira disse...

Vim lhe retribuir a sua visita ao meu blog e deparo-me com este maravilhoso cantinho. Vi que têm uma essência de vida profunda, com uma grande ligação ao universo.
Parabéns pelo seu blog e continue assim
Um abraço
http://batatadoceira.blogspot.pt/

Lilly Silva disse...

Sou simplesmente apaixonada pelo aroma do alho nas comidas...
Também acho ele muito interessante enquanto planta...
Abraços

http://simplesmentelilly.blogspot.com.br/

Majo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
greentea disse...

gostei destas divagações sobre o ALHo.

Há dias disseram-me q era excelente comer 3 dentinhos de alho (1 por cada 20kgs d peso) com azeite crú d e primeira qualidade ou virgem extra, antes de deitar...