sábado, 16 de fevereiro de 2013

YUCCA - A planta cerimonial

Existem cerca de quarenta espécies Yucca. Desde plantas de pequenas dimensões até exemplares de muito metros de altura. As magníficas árvores de Joshua, Yucca brevifolia ou Yucca schidigera, presentes nos desertos americanos do Nevada, Arizona e Califórnia chegam a atingir os 20 metros de altura. Há variedades com folhas pontiagudas, semelhantes a espadas, com um espinho aguçado na extremidade, capaz de causar danos terríveis na pele. É o caso da Yucca aloifalia.
As espécies com porte arbóreo, apresentam um caule cilíndrico com interior esponjoso. Exteriormente exibem cicatrizes de folhas antigas. As folhas agrupam-se em penachos nas extremidades dos ramos.
A floração da Yucca é vistosa, em magníficos cachos de um branco cremoso. Estas flores têm uma característica estranha: são polinizadas por um único insecto, a Mariposa-da-Yucca, num estranho jogo de cumplicidade insecto/flor que um dia irei abordar em pormenor.
O interesse desta planta não se restringe à beleza das suas flores ou ao seu porte majestoso. Conhecida desde tempos imemoriais - foram encontrados restos de folhas e sementes de Yucca em fezes humanas de homens das cavernas...
Os indios Navajos, da América do Norte usavam largamente esta planta. Esmagavam e ferviam a raiz de forma a que se formasse uma densa espuma que era depois utilizada para lavar roupa, na higiene pessoal e em rituais religiosos. Também os frutos eram alimento comum depois de tostados no lume. Até ás folhas jovens eram consumidas na alimentação.
Outras tribos nativas da América do Norte usavam as fibras das folhas  na fabricação de arcos e flechas, na tecelagem de tecidos, esteiras, assentos de cadeiras, fio para cozer, redes de pesca  e artigos de vestuário.

PROPRIEDADES TERAPÊUTICAS
Também no campo da medicina a Yucca apresenta muitas propriedades.
As folhas são ricas em diversos componentes com elevado interesse, nomeadamente:
Saponinas esteróides - usadas no tratamento de de distúrbios digestivos.
Sapogeninas - para produção de estrógenos (hormonas sexuais)
Políssacarídeos - com propriedades curativas diversas.
Nos Estados Unidos, em pacientes que sofriam de artrite reumatóide e que foram sujeitos a tratamento com comprimidos de Yucca, verificou-se um alívio geral da doença sem efeitos secundários.
Os Indios Navajos curavam infecções oculares em ovelhas usando cinzas do caule da Yucca misturadas com iodo.
Um outra tribo da América do Norte - Arizona, os Walapai, esmagavam e ferviam as raízes da Yucca, produzindo uma bebida de sabor amargo com que tratavam a obstipação, a indigestão, gripe e feridas.
Associada ao Milefólio é remédio eficaz contra as varizes.

Mas não se ficam por aqui as inesperadas propriedades desta planta...
Em agricultura usam-se as saponínas extraídas das raízes para incentivar o crescimento de citrinos, morangueiros e diversas hortícolas. Também a indústria do golf usa estas propriedades para potenciar o crescimento da relva em zonas difíceis.
Na indústria, as soponinas da Yucca são usadas na depuração de píscinas de água salgada e no tratamento de águas residuais urbanas.

6 comentários:

Lucinha disse...

Jardineiro do Rei,

Quanto tempo não vinha visitar o jardim encantado de meu amigo.
Ao chegar aqui, encontro essa linda planta Yucca, que além de ser linda, tem propriedades maravilhosas.
Confesso, que só conhecia a beleza dela. Aprendi muito.
Um lindo Domingo. Abraços

Antígona disse...

Não fazia ideia! Pelos vistos todas as plantas têm poderes terapêuticos. A questão é conhecê-las. Tive duas Yuccas numa outra casa, que tive de matar por não terem por onde crescer :(

Lilá(s) disse...

Tem muito estilo o novo visual do blog!
Tenho uma dessas yuccas no jardim, ainda não deu flor, talvez por ser muito nova. Vou copiar as propriedades, nunca tinha lido nada sobre ela.
Bjs

João Alexandre disse...

As pétalas da flor da yucca também é um saboroso alimento. Lembro-me de minha mãe, quando éramos pequenos lá em Minas, fazer um farofa deliciosa. Ferventava as pétalas, escorria a água, colocava temperos, jogava um pouco de óleo fervente e juntava farinha de milho, produzindo uma farofa muito gostosa.

Majo disse...

Também foi uma surpresa para mim!
Só a conhecia como decorativa de espaços amplos.
Não tinha conhecimento das suas propriedades medicinais e alimentares.
Os comentários provam que o papel didático deste blogue. é muito importante.

Labirinto de Emoções disse...

E não é que tenho uma YUCCA no meu quintal..:-)))

A ver vamos se terei vida suficiente para a ver florir...

Um imenso beijinho.:-))))